Páginas

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Os Monólogos da Vagina



Os Monólogos da Vagina é um espetáculo teatral escrito pela autora norte-americana Eve Ensler. A produção já recebeu diversas adaptações para outros países, e uma versão para televisão com a presença de Ensler já foi produzida pela rede HBO.
A peça já foi traduzida em 15 idiomas, venceu o Obie Award em 1997, tornando-se um esmagador sucesso nos EUA. Ela propõe que as mulheres devem falar a respeito de suas vaginas e nos instiga a fazer uma reflexão  sobre a relação da mulher com sua própria sexualidade. Tornou-se uma bandeira da causa contra a violência exercida sobre as mulheres - inspirando um evento propositadamente criado para o efeito denominado "V-Day".

A peça foi levada para o Brasil em 2000 pelo ator e produtor Cássio Reis e tendo sido adaptada e dirigida por Miguel Falabella. No elenco de estréia estão presentes Zezé Polessa e Cláudia Rodrigues. Como na versão norte-americana, várias atrizes renomadas já passaram por seu elenco, como Totia Meirelles, Cissa Guimarães, Lúcia Veríssimo, Bia Nunnes, Betina Vianny, Cacau Melo, Tânia Alves e Mara Manzan. Atualmente, o elenco é formado por  Elizangela, Fafy Siqueira e Vera Setta.

O desejo de escrever Monólogos da vagina surgiu em 1996, quando Ensler ouviu o desabafo de uma feminista na menopausa. “Ela falava sobre sua vagina de uma forma tão desrespeitosa que fiquei chocada”.

Eve resolveu entrevistar mulheres de diferentes países, idades e culturas, cerca de 200 mulheres. Não houve país em que as mulheres falassem que gostam de seu corpo, aceitam o seu corpo, que se sentem bem com ele. Na verdade elas queriam sair dele, se distanciar, se mutilar, expeli-lo pela Bulimia ou definhá-lo pela Anorexia. Fazer um lifting ou uma lipoaspiração é quase como se livrar de um lixo que as mulheres pensam poluí-las. As mulheres foram condicionadas a ver sua sexualidade como suja. Ter desejos é ser mais feia”, analisa Ensler. E ela conduz isso de uma forma bem humorada e com um alto teor de crítica e de reflexão.

Filme - Os Monólogos da Vagina

Os Monólogos da Vagina foi criado e interpretado por Eve Ensler, que debutou no off Broadway em 1996. Este controverso trabalho iniciou rapidamente uma onda nacional de boas críticas e continuou a percorrer a América do Norte e todo o mundo. O show foi chamado "um fenômeno real e verdadeiro" pelo The New York Times. "Um trabalho de arte com um texto inteligente" disse o Variety. "Simplesmente espetacular. Nota ‘A’" disse a Entertainment Weekly. Agora, a intimidade do show original de Eve Ensler foi magnificamente trazida para a tela. Os Monólogos da Vagina captura a performance única de Eve Ensler e viaja para além dos palcos à medida que ela explora o ímpeto criativo por trás dos monólogos, e conduz uma série de novas e reveladoras entrevistas tão inspiradoras como aquelas que motivaram o trabalho original.

Livro - Os Monólogos da Vagina

Lendo este livro, garante a autora, Eve Ensler, ativista e dramaturga premiada, jamais tornaremos a ver o corpo feminino com os mesmos olhos.

É um livro profundamente inovador e que dá voz a um coro de histórias extravagantes, comoventes, luxuriosas e integramente humanas. Traz à tona um mundo tachado de vergonhoso, sujo e demoníaco: o corpo da mulher, o prazer da mulher e seu poder de escolha sejam em se tocar ou decidir sobre quem o tocará. Segundo Eve, sua preocupação com a questão da vagina e com o que as mulheres pensam a respeito dela foi o mote para realização de entrevistas com mulheres de diferentes idades, profissões e nacionalidades. Através da pesquisa relata um pouco daquilo pelo qual muitas já passamos (ou tememos passar), mas não temos coragem de verbalizar, dá vazão àquilo que nunca ninguém nos perguntou, numa tentativa de desmitificar a vagina, o prazer da mulher e a sua liberdade.

Um comentário: